domingo, 31 de julho de 2011

Renegados que desequilibram

Este sábado poderia ser o último do atacante Luan como jogador do Palmeiras. Seu vinculo com o clube se encerraria e caso seu passe não fosse comprado o atleta teria que voltar para o Toulouse, da França, que detinha seus direitos. Porém, o time verde acreditou no atacante e apostou (alto) na sua contratação. Foram 11 milhões de reais investidos no negócio e um reforço para o esquema time.


Mesmo com tanta confiança dos dirigentes, comissão técnicas e companheiros, o jogador não é unanimidade na torcida alviverde. Muitos contestam sua habilidade e chegam até a chama-lo de fominha. Neste ano, Luan e Marcos Assunção foram protagonistas de alguns protestos de torcidas organizadas do time, que pediam a saída deles. Não ligando para isso, os jogadores foram a campo e deram suas respostas, onde sabem melhor expor seus argumentos.

E não foram poucos. Sem dúvida alguma a jogada de bola parada de Assunção é a principal arma ofensiva do time. Coincidência ou não, foi justamente de uma jogada dele que o time da casa abriu o placar. Assunção cobrou falta na lateral esquerda do ataque, bola alta que ia na área, mas no meio do caminho fez uma bela curva, encobrindo o goleiro Giovanni e acertando o ângulo direito do gol. Golaço do volante palmeirense.


A resposta do time de Minas foi imediata. Descida rápida pela ala direita do Galo, a bola chegou a Magno Alves na entrada da área. O atacante dominou, girou para o pé esquerdo e chutou. Deola estava na bola, entretanto, um desvio da pelota no zagueiro matou o arqueiro camisa vinte e dois. Empate rápido e os outros gols se reservaram para o segundo tempo.

O desempate não poderia ser diferente. Cobrança de falta de Marcos Assunção resvalada por um jogador do Palmeiras e acabou batendo no defensor do Atlético, sobrando limpa para Luan, cara a cara com o goleiro. Obviamente que o atacante não pensou em outra coisa: enfiou a botina e cravou o segundo gol do Palmeiras nas redes do Galo mineiro.

Valdívia jogou bem, deixou os atacantes na cara do gol, chutou e tentou a todo custo decidir a partida. Não deu. Sendo assim Felipão tentou fortalecer o meio-campo, tirando Maikon Leite e colocando Patrik. Aí sim, deu certo. Luan partiu pela esquerda, passou pelo defensor e cruzou pro meio da área, aonde Kleber veio em velocidade, mas foi desarmado. A bola não poderia ter caído em melhor lugar, justo no pé de Patrik, que de primeira ampliou o marcador.

O jogo já estava ganho, porém, ainda dava tempo para o time de Dorival Júnior deixar a situação ‘menos pior’. Chutão de Werley, que estava na linha do meio campo, para a ponta direita da ofensiva alvinegra. Pela força da bola, parecia que ela morreria na linha de fundo, mas morreu após outra linha, a do gol. Neto Berola acreditou na jogada, pegou a bola dando um chapéu no zagueiro e mandou para a pequena área, onde Wesley só despachou o pacote para o endereço certo. 3x2 e final de partida.


Esse jogo contra o Atlético – MG, no Canindé, foi vencido graças aos renegados de parte da torcida, que garantiram os três pontos e mantiveram o time na quarta posição. Além disso, igualou os pontos do rival São Paulo e está a três do líder Corinthians. O Atlético – MG está na décima quarta posição em fase muito desagradável, principalmente para o treinador Dorival Júnior, que já vem sendo contestado há algum tempo por conta de tantos resultados negativos.


Fotos: Miguel Schincariol / Agência Estado / Eduardo Viana

sábado, 30 de julho de 2011

De volta à ponta do Grid

Nova disputa pela pole de mais um Grand Prêmio de Formula 1. Neste fim de semana a corrida acontecerá na Hungria, no circuito de Hungaroring. Pista que trás más lembranças a Felipe Massa, pois foi lá que o brasileiro sofreu o acidente mais grave de sua carreira.

Na última semana o alemão Sebastian Vettel estava em casa, porém, deixou a desejar e não venceu, sequer conseguiu a primeira colocação no treino. E o jovem quis compensar seus fãs logo na disputa seguinte. Conseguiu, tirando o doce das mãos de Hamilton na sua tentativa final.


As McLaren’s estavam melhores no treino, com Lewis liderando boa parte do Q3 (parte final do treino livre). Alonso e Massa mantiveram seus desempenhos, mas com uma única mudança: pela primeira vez no ano o brasileiro vai largar na frente do seu companheiro.

Schumacher não teve bom desempenho, ficando apenas em nono, atrás de seu companheiro, Rosberg, que larga em 7º. Mantendo o mal rendimento, Rubens Barrichelo e sua Willians conseguiram apenas o 15ºtempo.


Confira o Grid completo:

1. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull) - 1m19s815
2. Lewis Hamilton (ING/McLaren) - 1m19s978 
3.
Jenson Button (ING/McLaren) - 1m20s024
4. Felipe Massa (BRA/Ferrari) - 1m20s350
5. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) - 1m20s365
6. Mark Webber (AUS/Red Bull) - 1m20s474
7. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) - 1m21s098
8. Adrian Sutil (ALE/Force India) - 1m21s445
9. Michael Schumacher (ALE/Mercedes) - 1m21s907
10.
Sergio Perez (MEX/Sauber) - Sem tempo
11. Paul di Resta (ESC/Force India) - 1m22s256
12. Vitaly Petrov (RUS/Lotus Renault) - 1m22s284
13. Kamui Kobayashi (JAP/Sauber) - 1m22s435
14. Nick Heidfeld (ALE/Lotus Renault) - 1m22s470
15.
Rubens Barrichello (BRA/Williams) - 1m22s684
16. Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso) - 1m22s979
17. Pastor Maldonado (VEN/Williams) - Sem tempo
18. Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso) - 1m24s070
19. Heikki Kovalainen (FIN/Team Lotus) - 1m24s362
20.
Jarno Trulli (ITA/Team Lotus) - 1m24s534
21. Timo Glock (ALE/Virgin) - 1m26s294
22. Vitantonio Liuzzi (ITA/Hispania) - 1m26s323 
23. Daniel Ricciardo (AUS/Hispania) - 1m26s479


Foto: Getty Images

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Defesa eficiente, defendendo e atacando


Após perder para o Fluminense na última rodada, o Palmeiras visitou o Figueirense no Orlando Scarpelli pela 12ª rodada ro campeonato brasileiro. O time paulista estava atrás de sua primeira vitória fora de casa e enfrentou justo o figueira, que ainda não havia perdido em suas dependências. E quase que mantém a invencibilidade. Quase...


Nas escalações, nada de diferente no anfitrião e o visitante mexeu duas vezes. O time da casa veio completo para o gramado, enquanto o Palmeiras mudou em duas posições, com a entrada de Gerley na ala esquerda, substituindo Rivaldo. Já no ataque, Wellington Paulista entrou na vaga de Luan, jogador que dificilmente continuará no clube, pois o seu atual clube, Toulouse da França, não quer mais emprestá-lo. Os europeus aceitam apenas vender o atacante e o time brasileiro não tem a grana, cerca de 3,2 milhões de euros (7,3 mi de reais).

O time do Palestra Itália não quis nem saber da sua fama de bom visitante, caiu matando logo no começo de jogo. Com um minuto, Kleber invadiu a área e bateu na saída de Wilson, que resvalou na bola e evitou o gol relâmpago. Demorou um pouco, porém os anfitriões equilibraram o jogo, que, apesar do placar magro, teve um bom nível de jogo.

Aos 23 minutos da etapa inicial o Palmeiras finalmente acertou o caminho do gol, com o atacante Kleber, que aproveitou a bola resvalada por Maurício Ramos, na cobrança de falta de Assunção, para ser oportunista e balançar as redes. Entretanto, o bandeirinha assinalou impedimento, de forma errada, pois dois jogadores davam condições ao Gladiador, um estava na mesma linha e o outro antes do atacante, em relação ao gol. 


Valdívia voltou a atuar de forma consecutiva depois de seguidas lesões e de retornar da Copa América, onde atuou pela seleção chilena. Nesta partida ele foi apagado, sem apoiar tanto o ataque, mas não comprometendo o rendimento do time. Para as próximas partidas seria bom Felipão pensar em melhorar a criação no meio campo, aproveitando a chance que terá de mexer no esquema, pela saída de Luan.

Muita movimentação das duas equipes nos dois tempos, a única diferença é que os donos da casa apertavam mais no segundo tempo que o Palmeiras, que se aproveitava do contra ataque no começo da etapa final. E sofreram alguns sufocos... Deola precisou trabalhar na chance de Aloísio e de sorte na cobrança de falta de Elias, passando rente ao travessão. Wilson não ficou para trás. Defendeu chute de Valdívia e espalmou cobrança de falta de Assunção. Também deu sorte, quando Maikon Leite driblou o zagueiro e acertou a trave.

Porém, o goleiro que estava indo tão bem na partida deu mole em um único lance, importantíssimo para o seu time e, principalmente, para a vitória alviverde. Mais uma cobrança de falta de Marcos Assunção (Um pouco repetitivo, não? Para o esquema de Felipão, o ideal), que foi diretamente para as mãos de Wilson, impossível defender uma bola com tanta força, então resolveu jogar para fora da área, porém, no meio do caminho Maurício Ramos estava lá. O zagueiro foi muito oportunista e serviu de paredão para a bola entrar no gol.

 
1x0 sofrido, três pontos garantidos e a quarta posição temporária no brasileirão. Esta foi o saldo da passagem do Palmeiras por Santa Catarina. Não foi nada espetacular, como as partidas de Santos x Flamengo ou Coritiba e São Paulo, porém, ganhou os mesmos pontos dos adversários. O time da casa perdeu a primeira em casa e cai para a nona posição no campeonato, apesar disso, é surpreendente a sua estada entre os dez primeiros.


Fotos: Cristiano Aldujar

terça-feira, 26 de julho de 2011

Série especial: Brasil x Alemanha

História não falta para estas equipes. Sempre estão nas listas de favoritas em qualquer competição que estão e entram para fazer barulho. Mas suas famas no futebol são bem diferentes.

Nossa seleção tem o histórico de colocar a habilidade como protagonista, com belos dribles e jogadas de efeito, não só plástico, mas também fatal nas defesas adversárias. Não é à toa que o maior jogador de todos os tempos é brasileiro. Pelé é tão superior que muitos o tiram da lista de melhores do mundo, pois sua forma de jogar é de outro mundo.

Já a escola alemã prioriza a força, a forte marcação e a eficiência. Aproveitam as mínimas chances que têm nos jogos para definir o placar a seu favor. Um exemplo clássico é a final da Copa de 74, quando enfrentou, com um time inferior tecnicamente, a sensação Laranja Mecânica e saiu vitoriosa.


Na última Copa tiveram rumos distintos. O time alemão foi renovado e surgiu com novos craques, mostrando a tradição da escola futebolística do país, que já revelou Beckenbauer, Gerd Müller, Kahn e muitos outros jogadores marcados na história do futebol mundial.

Enquanto isso o Brasil apresentou sua seleção com a maior média de idade em todos os mundiais e não teve todo seu potencial aproveitado. Isso, pois deixou de lado muitos jogadores, até melhores dos que estavam lá, por conta do esquema escolhido por seu treinador, como os craques Neymar e Ganso, que são da mesma idade de Muller e Özil, as revelações da Alemanha nesta Copa.


Essas duas seleções fazem parte do seleto grupo de equipes campeãs do mundo, além do grupo que participou de todas as finais da maior competição do futebol (Argentina, Brasil, Inglaterra, Alemanha, Holanda, França e Itália). Sendo assim, o clássico promete um grande duelo, digno de titãs do futebol, como foi a final da Copa de 2002, disputada entre elas.

Neste jogo as duas melhores equipes daquele Mundial deram show. De um lado o goleiro Oliver Kahn, melhor goleiro e jogador do mundial. Do outro o artilheiro renascido Ronaldo. A equipe europeia havia sofrido apenas um gol na competição, no empate contra a Irlanda pela primeira fase. O Brasil vinha forte, tenho marcado dezesseis gols em seis jogos, sendo seis do nosso eterno camisa nove.

O final todos nós sabemos. Levamos a vantagem, ou melhor, Ronaldo venceu Kahn. Melhor do que apenas vencer o jogo, Ronaldo fez dois gols no melhor goleiro do mundo, façanha pequena para um craque do seu nível.


Nos confrontos anteriores o Brasil leva enorme vantagem. Em dezenove jogos foram onze vitórias do time canarinho, cinco empates e apenas três triunfos alemães. O número de gols também tem boa diferença, favorável para a equipe verde e amarela, que marcou 37 vezes, contra 21 gols do adversário.

Na próxima semana, na terça-feira, teremos o segundo texto desta trilogia, com mais detalhes dos craques que já passaram por estas equipes. Continuem acompanhando o blog.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Os mano do Mano

Mais uma convocação do técnico Mano Menezes. Desta vez para o amistoso contra a forte e renovada seleção alemã, no dia 10 de agosto, em Stuttgart. O time teve seis mudanças em relação a equipe da Copa América que deixou a desejar. A seguir os jogadores e os comentários sobre sua chance na seleção.



GOLEIROS

Julio César (Inter de Milão) – O melhor goleiro em 2009 tem grande potencial, porém, falhou em duas oportunidades decisivas para a seleção: na Copa do Mundo e contra o Equador (quando os garotos salvarão sua péssima atuação). Acredito que ficar no banco em uma oportunidade poderia fazer o goleiro melhorar seu desempenho.

Victor (Grêmio) – A tempos com a seleção, desde a época de Dunga, o arqueiro gremista teve poucas chances como titular e com as falhas de Julio poderia ser testado como primeiro goleiro.



LATERAIS


Maicon (Inter de Milão) – Entrou e arrumou a ala direita. Contra o equador fez ótima apresentação e deixou, novamente, Daniel Alves esquentando o banco. E pelo jeito ficará assim por um bom tempo.

Daniel Alves (Barcelona) – Demostrou que tem o mesmo problema de Messi. Atua bem com o Barça, mas tem problemas no desempenho com a seleção. Sendo assim, melhor deixar Maicon, sempre regular com a camisa amarela.

André Santos (Fenerbahçe) – De novo Mano? Parece que algumas pessoas gosta de surpresas... negativas. Se bem que não é uma surpresa seu nível não mais do que mediano. Apesar da escassez de bons laterais esquerdos, André já mostrou não ser tão confiável. Marcelo, do Real Madrid, merecia outra chance. Ou até mesmo Adriano, do Barcelona, seu reserva na Copa América.


ZAGUEIROS

Lúcio (Inter de Milão) – Indiscutível sua habilidade e força defensiva. O que se pode discutir é sua titularidade, por conta da renovação do time. Neste jogo com a Alemanha eu o colocaria como titular, mas precisa passar confiança para os mais novos terem a mesma garra que ele, pois no futuro eles estarão em seu lugar.

Thiago Silva (Milan) – Melhor jogador do campeonato italiano como defensor. É preciso dizer mais alguma coisa? Zagueiro não deve bater penalidade máxima, apenas isso.

David Luiz (Chelsea) – Depois de grande temporada no Benfica foi contratado pelo Chelsea. Teve outra boa temporada e merece o posto no elenco. Além disso, merece nova chance como titular.

Dedé (Vasco) – A novidade na zaga, e aposta muito bem feita. Este foi o destaque defensivo do último brasileirão e quase foi para Europa e deve ir no fim desta temporada. Tem muito futuro e pode vestir esta camisa muitas vezes mais.


MEIO-CAMPISTAS


Lucas Leiva (Liverpool) – Não foi bem na Copa América. Sem substituto direto, pois Sandro se lesionou, ficou. Não comprometeu o time, porém, poderia ter ido melhor. Eu manteria no time, mas chamaria um jogador a altura para brigar pela posição. E mano fez isso.


Ramires (Chelsea) – Deixou a desejar, e muito, na competição Sul-Americana. Fez um bom jogo contra o Paraguai, mas nos outros foi mal. Assim como Julio, o banco poderia acordar o jogador.
 
Elias (Atlético de Madri) – Poucas chances com o time canarinho, mas quando entrou não fez muito. Precisa saber que para se destacar na seleção não pode esperar uma chance como titular, precisa agarrá-la nos cinco ou dez minutos que entra em campo.

Ralf (Corinthians) – Este é o nome que pode mudar o setor de marcação da equipe. Com muitos jogadores ofensivos a parte de trás fica desprotegida. Ralf vive ótimo momento no Corinthians e fez por merecer esta convocação.

Luiz Gustavo (Bayern de Munique) – Outra aposta boa de Mano Menezes. O jogador foi finalista da Champions League em 2010, quando o Bayern perdeu o título para a Inter de Milão. Neste mesmo ano ganhou quatro canecos com o time alemão. É um jogador novo, tem 23 anos, tem futuro e pode ser um nome na lista da próxima Copa.

Paulo Henrique Ganso (Santos) – Indiscutível sua habilidade. Só precisa se acostumar com a camisa da seleção para surpreender a todos nós.

Renato Augusto (Bayer Leverkusen) – Já teve uma oportunidade no time de Mano, foi regular. Seus últimos anos na Europa foram bons e precisa ter mais uma oportunidade para Mano e os torcedores terem alguma certeza sobre ele e seu futebol.

Lucas (São Paulo) – Jogou pouco na ultima competição da seleção. Precisava ter entrado mais e um jogo como titular pode destruir a defesa adversária. Quando entra no segundo tempo não consegue render tanto, pois os companheiros já estão cansados. No meu time, estaria no ataque junto com Pato e Neymar.

Fernandinho (Shakthar Donetsk) – Aposta. Apenas isso posso dizer sobre este jogador. Ou seria a palavra empresário? Veremos.



ATACANTES


Alexandre Pato (Milan) – Artilheiro nato. Com dois atacante pontas seu papel no time é fundamental: o de empurrar a bola pro fundo das redes. Tarefa fácil para  este jogador.

Fred (Fluminense) – De novo ele? Segue a mesma linha de raciocínio de André Santos. A diferença que Fred tem alguma habilidade, mas outros centro avantes que ficaram fora tem mais, como Damião, do Inter, e Kléber, do Palmeiras.

Neymar (Santos) – Foi tímido na Copa América, mas deve estar no time, sem sombra de dúvida.

Robinho (Milan) – De tanto deixar a desejar foi pro banco, mas pela mal atuação do time voltou. Não é o esquema que esta errado, Mano, o que pode estar errado é Robinho. Já penso nisso?


Jonas (Valencia) – Artilheiro do Brasileirão de 2009, com grande passagem pelo Grêmio. Já teve uma oportunidade na seleção e entrou em campo, nada mais.
A pergunta que me faço é: qual o problema com Hulk e Kleber para eles não estarem nas listas de Mano?


Marquinho x Bandeirinha

Fluminense e Palmeiras se encontraram mais uma vez em campeonatos brasileiros. O campo deste novo confronto foi em Volta Redonda, no estádio Raulino de Oliveira. Gramado em péssimo estado e jogo no mesmo nível. Os dois times não estava em seus melhores dias, criando poucas chances ofensivas.


Quem teve trabalho foi o goleiro Marcos. O santo teve que se esticar todo logo no primeiro lance de perigo do jogo, quando Fred aproveitou levantamento na área e testou a queima luvas o goleiro alviverde, que tirou com muito reflexo a bola da direção do gol. Uma defesa incrível, esperada apenas do goleiro santo.

E novamente Marcos teve que trabalhar. Edinho pegou sobra de cruzamento na entrada da área e enfiou o canudo. O tiro foi certeiro, ia bater no travessão e levar muito perigo. Mas o goleiro não quis saber de duvidas e fez outra boa intervenção, jogando para escanteio. Diguinho também tentou, quando foi lançado na área, porém o santo se antecipou e defendeu.

O Palmeiras demorou a ter uma boa chance. Entretanto, quando ela chegou assustou mais do que as oportunidades do time da casa. Cobrança de falta no campo defensivo palmeirense e Kleber resvalou na bola, que encontrou Maikon Leite na grande área. O atacante venceu o defensor na corrida e chegou primeiro na bola. Deu um toque sobre o goleiro Diego Cavalieri e a pelota caprichosamente subiu mais do que poderia e morreu na placa de publicidade.

Em nova chance de Maikon leite, o camisa 7 chutou de fora da área e Cavalieri barrou o chute jogando para o lado esquerdo da grande área, mas seu defensor conseguiu ser mais rápido que os atacantes palmeirenses e terminou com o lance de perigo quando sofreu falta.

Valdívia voltou ao time alviverde, mas
teve participação apagada.

No segundo tempo a mesma coisa, mas agora com Ciro em campo no lugar de Deco pelo Fluminense. Não surtiu muita diferença. O começo foi igual o do primeiro tempo, com boa chance de Fred na pequena área, que desta vez foi pra fora. Depois disso veio a jogada polêmica e irregular do jogo. Irregular para o juiz e o bandeirinha. Polêmica pela decisão da autoridade do jogo.

O lateral Carlinhos subiu sozinho pela esquerda e cruzou nos pés do atacante Marquinho, que tirou de Marcos e saiu para o abraço. No meio da comemoração percebeu que o gol não valeu. O motivo? Sabe-se lá qual. Não houve nada irregular, apenas a marcação errônea do bandeirinha.

Mesmo garfado o Flu seguiu no ataque e achou novamente o caminho das redes, em outro cruzamento que terminou no arremate de Marquinho, mas desta vez pelo lado direito. Mariano levantou na área, Marquinho ganhou de Mauricio Ramos e testou no canto direito de Marcos, que defendeu, mas o cabeceio foi tão forte que a bola entrou, morrendo nas redes laterais do gol.


Com a vitória o Fluminense se reabilita no campeonato. Depois de duas derrotas seguidas o time carioca chegou a 10ª colocação com 15 pontos, atrás da surpresa Figueirense, com um ponto a mais. Já a equipe paulista saiu do G-4 com a derrota, sendo passado pelo Vasco e ficando na quinta posição com 19 pontos ganhos.


Fotos: Cleber Mendes / Paulo Sérgio

domingo, 24 de julho de 2011

Temporada de caça ao líder aberta

Esse não foi mesmo o fim de semana de Sebastian Vettel. Correndo em casa, o alemão vencedor da maioria dos grandes prêmios até agora (seis dos dez já disputados) não conseguiu manter o rendimento, mesmo tendo dito que o fator casa tirava a pressão sobre ele. Quem não quis saber do favoritismo adversário foi Hamilton, que na largada assumiu a primeira posição e venceu a segunda nesta temporada.


Apesar do mal instante de Vettel, a RBR conseguiu a pole position com seu parceiro, Mark Webber, ficando na frente dos adversários diretos do alemão no campeonato. Hamilton era segundo, mas nem sequer notou a presença do australiano à sua frente, acelerando e deixando-o para trás.

As duas Ferraris tiveram começos distintos. Alonso, quarto no grid, começou bem e passou Vettel, assumindo a terceira posição. Enquanto Massa, quinto na largada, perdeu a posição para Nico Rosberg. Barrichello largou em 14º, mas teve problemas no motor e abandonou a 44 voltas do fim.

Webber e Hamilton protagonizaram boa briga, quando o piloto da Red Bull tentou tomar a liderança do inglês. E conseguiu. Por pouco tempo, porque Lewis deu o troco na mesma reta, mostrando a força do motor Mercedes. Vindo atrás dos brigões, Alonso tentou se aproveitar da situação. O espanhol foi mais agressivo durante a corrida, conseguiu vencer a RBR de Webber e chegar à segunda posição, onde terminou o grande prêmio.

Massa teve seu melhor momento ao ultrapassar Vettel na volta dezesseis, fritando o pneu dianteiro esquerdo para conseguir a proeza. O alemão estava atrapalhando a Ferrari do brasileiro, pois estava mais lento, sendo inevitável perder a posição. Mesmo com a boa manobra, Felipe teve mais uma vez seu rendimento atrapalhado pela equipe.


Nos boxes, os corredores deixaram a disputa da posição nas mãos dos mecânicos. Como visto em quase toda a temporada a Ferrari deixou a desejar com o brasileiro. A troca de pneus foi lenta, enquanto isso Massa viu Vettel sair rápido e ganhar a quarta posição.

Alonso e Hamilton fizeram disputa parecida, quando o piloto da Mc Laren saiu na frente do espanhol e os dois deram de cara com o líder Felipe Massa segurando a ponta das rodas de Webber, que assustava com sua RBR. Não deu para o brasileiro ficar muito na frente, pois precisava reabastecer, cedendo a liderança para o piloto australiano.

Schumi não foi bem em outro GP. Com um carro não tão eficiente o piloto totalmente agressivo não teve vida fácil. No seu principal lance da corrida, o alemão espalhou o carro, tocando na grama molhada. O final não foi outro. Rodou e saiu da pista, porém, conseguiu retornar e terminar em oitavo.

E o segundo round da luta de Webber e Hamilton foi emocionante, além de definir o vencedor da corrida. Na saída dos boxes o inglês voltou na frente do carro de Webber, que aproveitou os pneus frios da McLaren para tentar a ultrapassagem. Deu sorte, porque Hamilton espalhou na primeira curva e Webber emparelhou os carros. Lewis foi inteligente, saiu um pouco do traçado e quase joga o australiano para fora da pista, conseguindo ficar na primeira posição.


A vitória levou Hamilton à terceira posição na classificação de pilotos, atrás dos dois companheiros de RBR. Faltam ainda 82 pontos para alcançar o líder Vettel, entretanto, colou em Webber, ficando apenas cinco pontos atrás dele.


RESULTADO FINAL
1º - Lewis Hamilton (GBR) McLaren-Mercedes
2º - Fernando Alonso (ESP) Ferrari 
3º - Mark Webber (AUS) Red Bull-Renault
4º - Sebastian Vettel (ALE) Red Bull-Renault
5º - Felipe Massa (BRA) Ferrari
6º - Adrian Sutil (ALE) Force India-Mercedes
7º - Nico Rosberg (ALE) Mercedes
8º - Michael Schumacher (ALE) Mercedes
9º - Kamui Kobayashi (JAP) Sauber-Ferrari
10º - Vitaly Petrov (RUS) Renault 
11º - Sergio Pérez (MEX) Sauber-Ferrari
12º - Jaime Alguersuari (ESP) Toro Rosso-Ferrari
13º - Paul di Resta (GBR) Force India-Mercedes
14º - Pastor Maldonado (VEN) Williams-Cosworth
15º - Sebastien Buemi (SUI) Toro Rosso-Ferrari
16º - Heikki Kovalainen (FIN) Lotus-Renault
17º - Timo Glock (ALE) Marussia Virgin-Cosworth
18º - Jérôme d'Ambrosio (BEL) Marussia Virgin-Cosworth
19º - Daniel Ricciardo (AUS) HRT-Cosworth
20º - Karun Chandhok (IND) Lotus-Renault

ABANDONOS
Vitantonio Liuzzi (ITA) Hispania-Cosworth - problema mecânico
Jenson Button (GBR) McLaren-Mercedes - problema hidráulico
Rubens Barrichello (BRA) Williams-Cosworth - vazamento de óleo
Nick Heidfeld (ALE) Renault -colisão

VOLTA MAIS RÁPIDA
Lewis Hamilton (GBR) McLaren-Mercedes - 1m34s302

Fotos: AFP / Reuters

sábado, 23 de julho de 2011

RBR de novo na pole, mas desta vez com Webber

Quem apostou em Vettel correndo em casa não começou bem. Nas voltas de classificação, nesta manhã de sábado, o alemão ficou ‘somente’ na segunda fila, na terceira posição. Entretanto, a Red Bull não perdeu o posto mais alto, pois o seu companheiro, Webber, assegurou a melhor volta do treino.


Outro piloto que prometia ir bem era Hamilton. E não decepcionou. Fez bons treinos e se garantiu na primeira fila atrás de Webber, enquanto Button, seu parceiro, não teve um bom fim de semana e ficou apenas em sétimo.

Já a Ferrari manteve a melhora da última corrida, ficando em 4º e 5º colocados na largada, com Alonso e Massa, respectivamente. A surpresa deste treino foi a presença de Sutil e sua Force India entre os 10 primeiros. O piloto alemão conseguiu a proeza de colocar o seu carro não tão competitivo em 7º, na frente do todo poderoso Michael Schumacher, último dos 10.


A lista completa dos carros e tempos foi a seguinte:

1º Mark Webber (AUS/Red Bull): 1min30s079 
2º Lewis Hamilton (ING/McLaren): 1min30s134 
3º Sebastian Vettel (ALE/Red Bull):1min30s216 
4º Fernando Alonso (ESP/Ferrari): 1min30s442 
5º Felipe Massa (BRA/Ferrari): 1min30s910 
6º Nico Rosberg (ALE/Mercedes): 1min31s263 
7º Jenson Button (ING/McLaren): 1min31s288 
8º Adrian Sutil (ALE/Force India):1min32s010 
9º Vitaly Petrov (RUS/Lotus-Renault): 1min32s187 
10º Michael Schumacher (ALE/Mercedes):1min32s482 
11º Nick Heidfeld (ALE/Lotus-Renault): 1min32s215 
12º Paul di Resta (ESC/Force India): 1min32s560 
13º Pastor Maldonado (VEN/Williams): 1min32s635 
14º Rubens Barrichello (BRA/Williams): 1mins33s043 

15º Sergio Pérez (MEX/Sauber): 1min33s176 
16º Sébastien Buemi (SUI/Toro Rosso): 1min33s546 
17º Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso): 1min33s698 
18º Kamui Kobayashi (JAP/Sauber): 1min33s786 
19º Heikki Kovalainen (FIN/Team Lotus): 1mins35s599 
20º Timo Glock (ALE/ Virgin): 1min36s400 
21º Karun Chandhok (IND/Team Lotus): 1min36s422 
22º Jérome D'Ambrosio (BEL/Virgin):1min36s641 
23º Daniel Ricciardo (AUS/Hispania):1min37s036 
24º Vitantonio Liuzzi (ITA/Hispania):1min37s011*


*Perdeu posições no grid por trocar a caixa de câmbio

Foto: AFP

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Rodrigo Souto vai para o Japão

O volante Rodrigo Souto confirmou sua saída do São Paulo. O jogador irá se transferir para o Jubilo Iwata, do Japão. Há um mês o jogador estava definindo sua saída do tricolor paulista, tendo recebido primeiro proposta do Qatar e aceitando esta proveniente do time japonês.


No contrato o período de sua permanência é de 18 meses e para o seu lugar o São Paulo já havia contratado o volante Denílson, que estava no Arsenal.

Apostas do Cartola F.C – 11ª rodada


Goleiros

Renan (Corinthians) – Após a contusão de Julio Cesar o goleiro terá sua primeira chance no gol corintiano. Por ter valor muito baixo e pelo seu nível é uma boa aposta para ganhar cartoletas. Seu preço é C$ 0.76 cartoletas.

Jefferson (Botafogo) – Será seu segundo jogo pelo Botafogo depois da Copa América. O primeiro não foi muito bom, porém, o próximo adversário é o Atlético – PR, mal no campeonato, o que pode facilitar a atuação do arqueiro botafoguense. 15.93 cartoletas é o seu valor.

Marcelo Lomba (Bahia) – Com boa média de pontos o goleiro vem salvando o Bahia. Jogando em casa o time tricolor vem tendo boas apresentações e contra o Coritiba, neste domingo, não deve ser diferente. Vale C$ 11.12


Zagueiros



Leonardo Silva (Atlético – MG) – Mesmo com o mau momento da equipe mineira o zagueiro vem tendo boa pontuação no cartola, principalmente pelos desarmes, uma de suas especialidades, que dá bons pontos e rendimento ao defensor alvinegro. Custa C$ 17.04 cartoletas.

Fabio Ferreira (Botafogo) – Assim como Jefferson, deve ter melhor rendimento neste jogo, pois contra o líder Corinthians o zagueiro não foi bem, diminuindo seu valor. Contra o fraco Atlético – PR deve amenizar esta queda e melhorar sua média de pontos. Para escalá-lo é só desembolsar 14.69 cartoletas.

Roger Carvalho (Figueirense) – O destaque do campeonato brasileiro até então é o Figueira, time forte defensivamente. Contra o América – MG o time do treinador Jorginho, mesmo jogando fora de casa, pode surpreender no contra ataque, já que presa a defesa antes de tudo, sendo facilitado pelo fraco ataque do time mineiro. Seu valor é C$ 6.55.


Laterais

Cicinho (Palmeiras) – Pela lateral é o segundo jogador com melhor pontuação, com 7.48 de média por jogo. Joga fora de casa contra o Fluminense e sua vantagem é conseguir atacar e defender com a mesma eficiência, dependendo do estilo de jogo da equipe. Custa 14.24 cartoletas.


Ramon (Corinthians) – Estreia contra o Cruzeiro, mas mesmo sendo um jogo difícil para o alvinegro o lateral deve se destacar, já que muitas jogadas do Corinthians vêm das laterais. Além que o time paulista dá sorte em suas contratações, exemplo os volante Paulinho e o lateral Welder. Para compra-lo é preciso investir C$ 4.46.

Carleto (América – MG) – As laterais são o ponto forte deste time mineiro, pois ambos jogadores atuam avançados, como dois alas, podendo participar de jogadas de gols e rendendo pontos por assistência. Custa C$ 5.86.


Meias

Lucas (São Paulo) – O jovem jogador retorna da seleção e vem ser o nome ofensivo deste do time tricolor. Seu começo no brasileiro foi ótimo, com media de 8.35 pontos e grandes atuações. Seu preço é 25.38 cartoletas, apesar de caro vale a pena o risco de escalar o meia.

Elkeson (Botafogo) – Com ótimas atuações na chegada ao time carioca o meia conseguiu média invejável no cartola. Apesar de ter caído duas cartoletas na última rodada o camisa nove tem tudo pra redimir isso contra o atlético do Paraná, seguindo o raciocínio do goleiro Jefferson e do zagueiro Fabio Ferreira. Seu valor é 16.47 cartoletas.

Diego Souza (Vasco) – Depois da conquista da Copa do Brasil o meia não manteve boas atuações. Contra o Atlético – MG, que tem problemas defensivos e está em má fase, a situação do jogador pode mudar, e pra melhor. Vale C$ 8.56.


Atacantes

Willian (Corinthians) – É o destaque ofensivo deste time do técnico Tite. Dificilmente erra uma conclusão, levando perigo à defesa adversária sempre que está em campo. Sua média de 6.68 por jogo comprova isso. Custa 16.58 cartoletas.

Deivid (Flamengo) – Contra o Ceará, no Rio de Janeiro, o time alvinegro tem tudo para se manter invicto no brasileiro e conquistar mais uma vitória. Para escalar o artilheiro terá que ceder  C$ 12.64, depois disso é só torcer para ele ir bem.

Maikon Leite (Palmeiras) – Joga fora de casa, contra o Fluminense, que não se acertou neste campeonato, principalmente defensivamente. Como é um atacante rápido, fará os defensores cariocas suarem para segurá-lo. Vale 8.80 cartoletas.

Verdão apresenta Gerley

Nesta sexta-feira o Palmeiras apresentou o jogador Gerley. Contratado junto ao Caxias, o lateral esquerdo vem pra suprir a ausência de Gabriel Silva, jogador convocado para a seleção Sub-20 que disputa o mundial da categoria.


O novo lateral esquerdo já vinha treinando com o grupo, mas apenas hoje foi apresentado. Com 20 anos, o jogador foi destaque do Caxias e teve 50% dos seus direitos adquirido pelo time paulista por R$ 1,2 milhões e tem contrato de 3 anos. Sobre sua chegada disse: "Estou muito grato de estar aqui, espero dar o meu melhor, a exemplo de como fez o Cicinho, chegar e agarrar essa chance. Fico feliz de poder trabalhar com o Felipão".


Foto: Eduardo Viana

Julio Cesar e Liédson desfalcam o Corinthians

Na última partida do timão duas notícias não muito agradáveis surgiram. A primeira foi vista por todos, quando o goleiro Julio Cesar tirou o dedo mindinho do lugar, em forte imagem, que mais parecia uma lesão exposta. A segunda foi a de que o atacante Liédson teria que fazer uma cirurgia no joelho esquerdo, pois após as partidas fortes dores incomodavam o artilheiro.

Nesta quinta feira foi confirmada a artroscopia do camisa 9 e já na tarde desta sexta aconteceria, no Hospital São Luiz. Joaquim Grava, médico do Corinthians declarou o seguinte em entrevista à Rádio Estadão ESPN: "A cirurgia irá regularizar uma pequena lesão meniscal. O Liédson já operou esse joelho três vezes e, após as partidas, vinha com problemas no local".


Enquanto isso, o goleiro Júlio Cesar recebeu boas notícias. Exames não detectaram fraturas no dedo, entretanto, a luxação exposta fará com que o goleiro desfalque o time por um mês. Sua volta está programada para o clássico contra o Palmeiras, no dia 28 de agosto.

Para a vaga dos jogadores Emerson Sheik e Renan devem ser os escolhidos. O atacante vem entrando em quase todas as partidas durante a segunda etapa. Já o goleiro terá sua primeira oportunidade na meta alvinegra, e sobre isso declarou o seguinte: "A responsabilidade é de todos (contra o Cruzeiro), mas é minha estreia, dá um frio na barriga. Só que estou preparado. No momento em que entrar em campo, meu foco será só a vitória. A equipe está organizada, o Tite tem nos passado confiança e estamos respondendo em campo".


Fotos: Fernando Dantas / Sergio Barzaghi

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Flu da chapéu no Palmeiras e assina com Martinuccio

Após o Palmeiras decretar o acerto com o meia Martinuccio e ter um pré-contrato em mãos, o jogador foi ao Rio de Janeiro e assinou outro contrato, desta vez com o Fluminense.

O time paulista promete ir à FIFA reivindicar seus direitos, pois diz que o contrato firmado com o argentino tem validade na confederação e  só libera o jogador com o pagamento da multa, de 50 milhões de reais.

Já o Fluminense, por meio de seu advogado, afirma que o contrato não tem validade e não terá riscos caso os dirigentes palmeirenses acionem a força máxima do futebol. Em contra partida, o advogado do time verde diz que o contrato não é igual ao de Thiago Neves, que tinha brechas e os cariocas levaram a melhor na outra queda de braços.


Mais uma novela tem como protagonistas o Palmeiras e um time carioca. Antes Kleber era o alvo, terminando a novela quando entrou em campo contra o Flamengo, time que o sondava. Agora o Flu tenta dar novo balão nos paulistas, que se dizem confiantes em relação ao contrato que tem em mãos.

Vamos aguardar que novos capítulos ainda virão e estarão, sem dúvidas, na mídia, nos atormentando e incomodando.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Celeste e Suárez espantam a zebra

Na Copa América das zebras a semifinal entre Uruguai e Peru era uma incógnita. Apesar do favoritismo da Celeste olímpica, o improvável está imperando nesta competição. Quem não quis nem saber disso foi Luís Suárez, que matou o jogo, marcando dois gols e levando sua seleção à final do campeonato.


A primeira etapa foi dominada pelo Uruguai, usando e abusando da jogada aérea, principal força ofensiva dos dois times. Mesmo com maior posse de bola a primeira oportunidade de gol foi dos peruanos, claro que em jogada de bola parada. Em lance ensaiado a bola foi tocada para o volante, que soltou o canudo para a defesa de Muslera, novo jogador do Galatasaray. O time azul chegou, em cobrança de falta alçada na grande área que sobrou para Suarez, finalizando com muita força e para fora.

Ainda tivemos duas jogadas perigosas na etapa inicial. No cruzamento de Vargas dois atacantes peruanos tentaram chegar à bola, mas ela passou por toda a grande área e morreu na linha de fundo. Pelo Uruguai o gol veio. Forlán cobrou falta, Lugano desviou e Álvaro Pereira empurrou para as redes. Porém, o gol não valeu, já que o jogador estava impedido.


Suáres, atacante do Liverpool, mandou e desmandou nesse jogo. Teve as principais chances pelo lado uruguaio e não decepcionou. Quando Forlán chutou de fora e o goleiro Fernández rebateu, o camisa 9 não titubeou e honrou o número de sua camisa. Chutou de primeira, abrindo o placar da primeira semifinal desta Copa América.

Suárez definiu o placar e a passagem da
Celeste para a final.

Pouco depois o golpe fatal. Em contra ataque rápido a bola chegou ao atacante, que partiu sozinho e esperou a saída do goleiro. Quando o arqueiro saiu desesperado do gol, Suárez cortou para a direita e direcionou a pelota para as redes. 2x0 Uruguai e a cada jogo fica mais claro o renascimento do futebol deste país.

A vitória deu o passaporte da alegria para a celeste, a vaga na final desta Copa América, podendo ser a décima quinta conquista do país na competição. O adversário no ultimo jogo será definido no jogo entre Venezuela e Paraguai, que acontecerá nesta noite.


Foto: Reuters

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Cobrou e... Pra fora!

Brasil e Paraguai. Normalmente em Copa América um jogo para semifinais, mas desta vez a partida foi válida pelas quartas-de-final, muito por conta do mau desempenho das equipes na fase de grupo. Por sinal estavam no mesmo grupo e protagonizaram um empate no primeiro encontro, com o Brasil empatando aos 47 da segunda etapa.


Se aquele jogo foi um teste para os cardíacos este então era a prova final. A escalação da seleção canarinho foi a mesma de contra o equador, quando teve o melhor resultado até então. Já o Paraguai veio no bom e velho 4-4-2, preocupado em anular o forte ataque brasileiro.

Ganso e Neymar após desencantarem no último jogo, eram os nomes para desequilibrar o jogo pelo lado amarelo, porém ficaram devendo, não só nesta partida, mas em toda a Copa América. O atacante teve melhores resultados que o meia. Fez dois gols e ainda é protagonista da ‘batalha’ entre os rivais Real e Barça para contratá-lo. Entretanto, poderia render bem mais e ser o destaque da competição.

Falando deste jogo, o camisa 11 foi apagado pela marcação. Tento algumas jogadas que terminaram no bom corte dos defensores paraguaios.  Robinho foi quem teve melhor resultado lá na frente, se movimentando e buscando o jogo. Maicon apoiou da mesma forma que contra o Equador, com o detalhe da forte marcação nos atacantes, que acabaram complicando sua atuação.


O nome do Brasil no jogo foi Ramires, correndo, maratonista como é, em todo o jogo, criando algumas jogadas para os atacantes, sem sucesso na conclusão. Pelo lado do Paraguai o goleiro Villar teve apresentação memorável, barrando chances mais do que claras de gols do time brazuca, principalmente a de Alexandre Pato, no segundo tempo da partida.

Durante jogo inteiro o Brasil dominou as ofensivas, com maior posse de bola e perigo, tendo chances de gol, que acabaram desperdiçadas ou defendidas pelo goleiro. O setor de meio campo estava apagado, pois Ganso seguia sem dar o ar da graça de toda a sua habilidade, dificultando na obtenção do gol. O Paraguai preferiu utilizar o contra ataque e foi tão eficiente quanto o adversário.

Sem tirar a igualdade do marcador a prorrogação veio. Começou e terminou da mesma maneira do jogo, com o Brasil em cima e nada de gols. Pênaltis e ai o jogo seguiu igual. O Brasil teve suas chances e mandou todas para fora. Elano, André Santos e Fred isolaram. Parecia jogo de Baseball, com os torcedores tentando pegar a bola. Apenas Thiago Silva acertou o gol, mas o goleiro defendeu. Enquanto isso o Paraguai, que se defendeu o jogo todo, aproveitou duas das três penalidades. 2x0 e bora pra casa, Brasil!


É apenas a primeira competição oficial do treinador Mano Menezes no comando da equipe, por isso merece mais tempo para desenvolver o seu trabalho. Porém, demonstrou que não tem boas escolhas nas substituições. Neste último jogo ao tirar Neymar e Pato ficou sem grandes opções para bater as penalidades, apelando para um zagueiro e um lateral para a tarefa.

Mesmo com esse erro, Mano pode ter bons resultados a frente da seleção. O amistoso contra a Alemanha é o próximo confronto. É uma boa oportunidade para o técnico mostrar que seu trabalho merece respeito e mais confiança, tanto dos críticos quanto dos torcedores.



Rivaldo e Rogério ainda fazem a diferença

Em baderna organizada pela CBF, Internacional e São Paulo foram as únicas equipes a entrarem em campo neste domingo pelo campeonato brasileiro. O adiamento das outras partidas foi devido à partida da seleção pela Copa América. Pelo resultado obtido era melhor ter mantido as partidas, pois os torcedores poderiam ter melhores lembranças do dia.


Mesmo jogando como visitante o São Paulo, ainda dirigido por Milton Cruz conseguiu mais uma vitória com o treinador interino. Enquanto o Inter teve apresentação abaixo do nível técnico da equipe, que resultou em outra derrota e na demissão do treinador Falcão. As ausências dos craques dos times, Lucas pelo São Paulo, e Oscar pelo Inter, diminuiu a eficiência ofensiva dos times.

A falta dos jogadores serviu para mostrar qual equipe tem melhores opções a reserva, e deu São Paulo. Sem muita delonga os times foram para o ataque, tentando se aproveitar de qualquer erro do adversário. Deu resultado, mas não o esperado pelos torcedores locais.

A primeira grande chance foi de Rogério Ceni em cobrança de falta, forçando o arqueiro Muriel a intervir no lance e fazer bela defesa. A segunda veio aos 19 minutos, quando Jean partiu pela direita e passaria por Kleber, mas o lateral apelou e o segurou. Falta e cartão amarelo para o lateral colorado. Na cobrança Rivaldo na bola, Casemiro no segundo pau e primeiro gol tricolor da partida.


Depois de levar o gol o Inter acordo e tentou correr atrás do prejuízo. Lá na frente só Leandro Damião era perigoso. Em bola alçada na área por Kleber o centroavante dominou no peito, tentou uma vez, a bola bateu no zagueiro e voltou e na segunda chance o camisa 9 mandou pouco acima do travessão.

Outro lance perigoso começou com Nei, ao cruzar na área e finalizada na cabeçada de Damião, mal interceptada pelo zagueiro e chegou nos pés do 11 colorado, que enfiou o canudo no defensor. A bola então sobrou para Guiñazu na entrada da área isolar a redonda na melhor oportunidade dos anfitriões no primeiro tempo.

Se o Inter desperdiçou suas chances os visitantes não fizeram o mesmo. Na segunda boa chegada o São Paulo ampliou. Fernandinho correu livre pela esquerda, entrou na grande área, esperou Muriel sair e tocou por cima do goleiro, confirmando a superioridade ofensiva na partida e ampliando o placar. 2x0 e fim de papo na etapa inicial.


Na volta para o segundo tempo vimos a inversão do jogo. Os colorados foram de cabeça à frente, tentando pelo menos diminuir a desvantagem, enquanto os tricolores foram completamente burocráticos, apenas esperando o jogo terminar para levar a vitória e os três pontos para a capital paulista. Vendo o segundo tempo até parecia que o treinador do time paulista era Luis Felipe Scolari, mas ainda era Milton Cruz, que deixará o posto para a vinda de Adilson Batista.

Leandro Damião tentou de cabeça, em chute rasteiro no canto. D’Alessandro tentou de fora da área, porém também não conseguiu passar por Rogério Ceni. Na única soneca dos colorados Carlinhos Paraíba deu números finais ao jogo. Jean cruzou, Nei tirou mal e a bola sobrou para o volante do tricolor, que dominou e chutou no canto direito do gol defendido por Muriel, sem chances para o goleiro. Terceiro gol e nada mais.

A vitória fez o São Paulo alcançar a vice-liderança parcial, pois Flamengo e Palmeiras ainda jogam, mas já tranquilizou a torcida depois de alguns mal resultados e da saída de Carpegiani. Rivaldo é mesmo o cara que faltava no meio. Apesar da ausência de Lucas, o 10 vêm guiando o time rumo ás vitórias. Já o Inter amarga a terceira derrota, a sétima colocação e a queda de Falcão após mais esta derrota. Quem será o próximo treinador do time gaúcho?

Fase Final da Copa América e transferências

Boa tarde leitores e ouvintes! Mais uma vez trago para vocês uma discussão com o companheiro João Vitor Cirilo, agora o tema é a Copa América, com a eliminação dos favoritos Brasil e Argentina, e também a surpreendente passagem de Peru e Venezuela para as semifinais. Além disso, discutimos um pouco sobre algumas transferências, como a provável vinda de Tevez para o Corinthians e a saída de Neymar para a Espanha.